Histórias de Carnaval, Papai Noel, Coelho da Páscoa, Neymar…


por Emir Pinho em Artigos / Principal / 14 de Fevereiro de 2018

Histórias de Carnaval, Papai Noel, Coelho da Páscoa, Neymar…

O carnaval no Brasil é o suprassumo da fantasia poética, da hipocrisia e das falácias!

Talvez por isso que dizem pelo mundo afora, que somos o “País do Carnaval”!

Imagine você, que durante uma semana, vários milhões de pessoas literalmente se jogam em festas, desfiles, blocos, rodas de samba e nas mais diversas formas de brincadeiras e folias.

Algumas picantes e outras totalmente despretensiosas.

Nestes dias da “Folia de Momo”, todos esquecem seus problemas, a crise, a falta de segurança, a falta de saúde, quem roubou e quem deixou de roubar. Esquecem suas insatisfações, seus dilemas…e até seus pudores, seus princípios e valores.

O foco quase absoluto passa a ser produzir as mais belas fantasias para brilhar na maior festa pagã do planeta.

Talvez seja a época do ano em que mais se consomem bebidas alcoólicas, abadás, plumas, lantejoulas e penas. A época do ano em que mais acontecem acidentes nas estradas e a que mais se usam preservativos e a pílula do dia seguinte.

Tudo em nome da irreverência, da festa, da alegria desenfreada e do carnaval. Na maioria das vezes, de forma exagerada, como se não houvesse um amanhã.

Eu imagino que você deva estar achando que eu não gosto de carnaval, mas asseguro que gosto bastante, e que também já tive meus tempos de folião.

Tempos de dançar no bailinho da matinê, curtir o desfile da avenida e de chegar em casa na madrugada.

Mas isso era num tempo em que eu não entendia o quanto perdemos e o quanto deixamos de produzir neste período. Você já se deu conta quanto custa manter nossas empresas, nossos negócios e todo o restante de nosso país estagnado por mais de 55 dias neste ano? Sim, porque em 2018 o Carnaval graciosamente aconteceu na primeira quinzena de fevereiro. Do contrário esse período seria maior…e mais tempo levaríamos para retomar as atividades.

Retomar de verdade, porque as coisas no Brasil, teimosamente parece que começam a acontecer somente após o Carnaval.

O que ninguém parece lembrar, é que em dezembro, o país literalmente entra em stand by por causa do Natal, do Réveillon e fica hibernando até o término do Carnaval!! Como se as contas parassem de chegar, como se os salários não precisassem ser pagos, como se os impostos não precisassem ser recolhidos e os órgãos arrecadadores baixassem a guarda e nos dessem esse prazo para milagrosamente não efetuar os pagamentos…enfim, como se a vida comercial e econômica do país (e de sua empresa) se permitisse “dar esse tempo” para se restabelecer.

Ora, ora, ora…que bom se fosse assim. Seríamos um lindo conto de fadas. Um verdadeiro paraíso!

Ainda na semana passada eu estive conversando com um empresário do norte do país sobre um conjunto de ações necessárias para que sua empresa se torne mais produtiva e alcance resultados significativos. Mas ele advertiu que neste momento não dispunha de caixa para investir nisso.

– Falta de dinheiro para fazer mais dinheiro? – Eu pensei.

Não me contive e como se já não soubesse a resposta, perguntei-lhe se suas equipes comerciais haviam atingido as metas de vendas nos últimos dois meses e como estavam os resultados parciais de fevereiro. Algo bem simples de responder, nada de complexo e sem pedir análises sobre os teores de rentabilidades e de composição dos lucros.

Ele pigarreou, engasgou, ficou vermelho e disparou:

– Gostaria que esses dois meses e meio não tivessem existido! Pois nossa empresa pagou para trabalhar neste período.

Então indaguei sobre o que eles estavam fazendo para recuperar os atrasos e para sua equipe comercial retomar os bons resultados em vendas e negócios.

Sua resposta foi mais vazia que a própria situação (risos):

– Depois do Carnaval vamos ver como fica…estamos de feriadão e folga total lá na empresa!

Obviamente que fiz cara de “coqueiro” e fiquei embasbacado pensando que se o “Coelhinho da Páscoa” não resolver, a tarefa fica para o Papai Noel, para o Neymar ou…e o ciclo continua, porque depois do Carnaval, vem a Páscoa, depois a Copa do Mundo, as Eleições e já é Natal de novo…e depois de tudo isso, vem o Carnaval outra vez e o “Bloco das Desculpas Esfarrapadas” coloca novamente a charanga na avenida. E viva a fantasia!!

Em suma, a empresa não produziu quase nada em dois meses e meio e todo mundo acha bacana fazer feriadão de Carnaval para deixar as preocupações para lá?  Salve a Santa padroeira dos Blocos e Baterias!!

O que se pode dizer para um Diretor que ao invés de investir para contornar os resultados insuficientes e elevar sua empresa ao patamar da alta performance, prefere concordar com a falácia das desculpas carnavalescas?

Todos nós sabemos que a única coisa certa é a Lei da Colheita!

Se trabalharmos bem a terra, escolhermos as melhores sementes, adubarmos corretamente e mantermos o terreno limpo por todo o período, maior será a probabilidade de realizarmos uma boa colheita. E para essa colheita ser bem-feita de verdade é essencial capacitarmos, treinarmos e qualificarmos toda a equipe envolvida.

Se não fizermos nada disso, a única certeza é a de que não haverá colheita!

Nossas equipes são as forças avançadas que podem virar esse jogo. E tenho absoluta certeza de que todos desejam conquistar bons resultados, afinal de contas são esses resultados que compõem seus salários e que podem leva-los a ter uma vida bem mais tranquila.

Mas para isso acontecer, é ultranecessário que todos saibam o quê fazer, porque fazer, quem fará, quanto será necessário, como fazer, quando fazer e onde fazer!

E que fique claro que essa é uma decisão que deve acontecer primeiro na “cabeça” do negócio!

Se a alta Diretoria, se os gestores e gerentes não estiverem convencidos, decididos e comprometidos a mudar esse jogo, o  baile continuará o mesmo.

No dia a dia das empresas, existem situações que não dependem da interferência de proprietários e diretores. Mas a decisão pela sobrevivência e pelo crescimento dos negócios, é prioritariamente responsabilidade da Direção da empresa e até que se prove o contrário, o Natal, o Carnaval, a Páscoa e as demais datas e eventos especiais devem ser utilizados com inteligência para MOTIVAR NOVOS NEGÓCIOS e aquecer o faturamento das empresas.

Não vamos esquecer que as pessoas assinam contratos com sua empresa para serem felizes…seja no Natal, no Ano Novo, no Carnaval ou até mesmo para dar um breve passeio na Rússia e torcer pela Seleção Brasileira de futebol durante a Copa – vai que é tua Neymar!!

Qualquer coisa diferente disso, é história para ilustrar marchinha de carnaval…e nesse caso, sabemos que a “Camélia caiu do galho, deu dois suspiros e depois morreu”!!

Então, #boralá colocar a Bateria Comercial na avenida dos negócios, conquistar a preferência dos foliões e brilhar com confete e serpentina!

Eu quero ver sua empresa e suas equipes serem aclamadas com o Estandarte de Ouro dos ótimos resultados!

E para isso, estou na área para tornarmos seu time de atendimento e comercial numa Tropa de Elite em Vendas e Negociações. Pode chamar! Iremos juntos, construir a #vendabilidade que sua empresa precisa e que seus assinantes e clientes merecem!

Feliz Ano Novo para você e um abração!

Ahhh e me responda:

– Suas equipes de vendas bateram as metas nestes 45 dias de 2018?
(podem enviar seu e-mail para [email protected])

 

Emir Pinho – @emirpinho
WhatsApp Business – (51) 999 67 3306


Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *