A preferida dos criminosos


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 12 de janeiro de 2008

Os 207.721 habitantes de São Leopoldo convivem com um título desagradável. O município lidera o ranking de furtos e roubos de veículos no Estado em 2007. Um dos motivos para esse recorde, apesar de a cidade ocupar a nona colocação na lista das maiores frotas, é o crescimento da delinqüência juvenil, um fenômeno típico na cidade, observa o doutor em Ciências Sociais José Rogério Lopes. Há gangues envolvidas em brigas e com a criminalidade.

– Começam com pequenos furtos, o CD do carro, e passam a roubar o veículo – diz Lopes, sociólogo e professor do programa de pós-graduação em Ciências Sociais da Unisinos.

A localização da cidade contribui. É vizinha de Novo Hamburgo (3ª no ranking de furtos e roubos) e Sapucaia do Sul (5ª colocada), cortada pela BR-116 – principal ligação do Vale do Sinos com a Serra e a Região Metropolitana – e onde começa a rodovia São Leopoldo-Montenegro (RS-240) – estrada que liga o bairro Scharlau ao Vale do Caí.

São Leopoldo tem fácil acesso e muitas rotas de fuga. Acaba atraindo esse tipo de crime – analisa o delegado João Bancolini, diretor da 3ª Delegacia de Polícia Regional, em São Leopoldo.

Uso de câmeras é a aposta para tentar reverter o quadro

E é no Morro do Paula, área limite com outros municípios, que os bandidos costumam desovar carcaças de carros depenados.

Do ponto de vista econômico, Novo Hamburgo e São Leopoldo são as principais cidades do Vale do Sinos, com populações de poder aquisitivo superior às demais cidades.

Outro fator que deixa a região vulnerável é a precariedade do aparato de segurança nas ruas. O Comando Regional de Polícia Ostensiva sofre com uma defasagem de 36% e tem dificuldades para as operações de barreiras e fiscalização em desmanches.

– Enquanto aumenta a criminalidade, nosso pessoal vem reduzindo, por aposentadoria ou por desistirem da profissão. Não é de surpreender que não consigamos diminuir as estatísticas. Se tivéssemos mais aporte, a realidade seria diferente – diz o tenente-coronel Carlos Magno de Oliveira.

Pior para o funcionário público Luciano Soares, 35 anos, que teve seu Golf 2002 roubado duas vezes no ano passado, em pouco mais de um mês, em São Leopoldo.

A aposta para combater esses e outros crimes está nas 27 câmeras de vigilância que começam a funcionar na próxima terça-feira, em diferentes pontos da cidade.

ROBERTA PSCHICHHOLZ Vale do Sinos/Casa Zero Hora

Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.