A segurança por um “fio” ou por um “clic”


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 4 de janeiro de 2007

Esperamos que você não faça parte de uma triste e assustadora estatística brasileira: a de ter o carro roubado. Segundo a revista Quatro Rodas, roubos e furtos de carros no Brasil são tão freqüentes quanto os semáforos nos cruzamentos. Ainda segunda a reportagem, dados do Registro Nacional de Veículo Automotores, só em 2001, revelam que 380 mil veículos foram levados por ladrões. Uma quantidade que equivale a 21% de toda a frota de automóveis produzida naquele mesmo ano. Segundo esta mesma estatística, um carro é roubado a cada um minuto e meio, somados os seqüestros e seqüestros-relâmpagos.
Com o crescimento desta triste estatística, crescem também as oportunidades no mercado da segurança, que agora já é identificada, também, como segurança eletrônica e wirelles, ou melhor, já é possível rastrear e monitorar o seu veículo a distância, seja em outro bairro, cidade ou Estado. Seja através de um pontinho em movimento na tela de um computador ou mesmo de um celular, já é possível encontrar um carro, com o auxílio de satélites, com uma margem de erro não superior a 20 metros de distância. Dependendo do equipamento, você poderá ouvir e ver o interior do carro. Tudo já pode ser gravado e transmitido a distância. Seja através de GPS, GPRS, via onda de rádio ou outra tecnologia disponível. Seja uma frota de caminhões, ônibus ou até mesmo o carro do seu filho(a), já é possível, de casa ou da empresa, acompanhar todos os metros rodados do veículo, além de poder interagir através de comandos. É possível executar diversas ações a distância, como bloquear o carro, desligar toda a parte elétrica do mesmo, acionar sirene (ou mensagem pré-programada) e, no caminhão, por exemplo, é possível travar ou liberar o baú (de carga), entre outras diversas funções como indicar a melhor rota para a distribuição da carga.
Estes serviços de monitoramento e rastreamento já chegaram a custar algo em torno de R$ 15 mil por veículo para a instalação, além da manutenção mensal. Em Uberlândia, o grupo Martins foi um pioneiro a operar com rastreadores em seus caminhões. Atualmente, e com o avanço da tecnologia, o atacadista passou a operar com sistemas similares, porém tão modernos quanto ou superiores ao anterior. Existem, também, os sistemas híbridos, onde se utiliza qualquer sistema pré-programado (seja via satélite ou celular), ferramentas ideais para as estradas que têm registrado, cada vez mais, o aumento de assaltos a caminhões, carros e ônibus.
Com o avanço da tecnologia, estes sistemas chegaram agora à classe média. Estão no mercado com preço médio de R$ 2 mil e mensalidades de R$ 120. Mas é importante entender que sistemas como estes não impedem, mas inibem o ladrão no momento de levar o teu carro ou caminhão.

Boa leitura!Claiton M. RamosEditor-Chefeeditor@revistanegocios.com.br


Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.