Brasil tem quase três vezes mais vigilantes privados do que policiais


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 16 de fevereiro de 2009

Segurança | 16/02/2009 | 09h29min

Brasil tem quase três vezes mais vigilantes privados do que policiais

De 2002 até janeiro deste ano, o número de seguranças particulares cresceu 87%

O Brasil tem 1,7 milhão de vigilantes privados, ante 602 mil policiais civis, militares, federais e bombeiros. A proporção é de quase três seguranças para um agente público. Os dados foram divulgados pelo jornal Folha de S.Paulo nesta segunda-feira.

A estatística brasileira supera a dos Estados Unidos (com 2,5 vigilantes privados para cada público) e do México (índice de dois para um). Além disso, do total de trabalhadores da segurança no setor privado, somente 455 mil têm carteira assinada, segundo a Polícia Federal.

Em 2008, surgiram 139.654 novos agentes particulares. De 2002 até janeiro deste ano, o número de profissionais cresceu 87%. De 2003 a 2006, o efetivo responsável pela segurança pública aumentou 5%. Na iniciativa privada, o crescimento foi de quase 40%.

 

Fonte: Jornal Zero Hora Online

 

Nota do Emir: Está mais do que comprovado que se não houvesse a Segurança e Vigilância Privada, nossa condição social seria de guerra civil. Ora, se com todo o aparato sério e responsável utilizado pelas empresas de segurança privada ainda sofremos uma forte ameaça do crime, imaginemos o pandemônio instaurado ante a inexistência das organizações privadas.

Por outro lado ainda travamos uma intensa luta combatendo a proliferação das empresas clandestinas que por diversas vezes acabam gerando maior insegurança.

Ou seja, é algo como – “Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”.

Dessa forma reforço iniciativas das entidades representativas, tais como a Abese, Sesvesp, ABSEG, ABSO, ABGS e os SIESE’s que lutam bravamente pela adequação e pela constante fiscalização do setor.


Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.