E se não fosse prioridade?


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 13 de maio de 2007

Roubo
E se não fosse prioridade?
Sua segurança
HUMBERTO TREZZI

Parece incrível que os ladrões de Porto Alegre tenham roubado, literalmente, dos seus colegas de São Paulo o segundo lugar no ranking nacional de cidades mais vitimadas pelo furto e roubo de veículos segurados. Isso porque há mais de ano as autoridades gaúchas anunciaram o combate a esse crime como prioridade.
Se essa é a prioridade das polícias, imaginem se não fosse… É provável que Porto Alegre já tivesse alcançado o primeiro lugar entre as cidades mais visadas do país. É necessário ressalvar que os números divulgados pelas seguradoras são referentes ao segundo semestre do ano passado.
No início deste ano – e do atual governo – chegou a ocorrer uma queda no furto e no roubo de veículos, muito em função do incremento nas barreiras de fiscalização da Brigada Militar. No ano passado, de janeiro a maio e durante a gestão Germano Rigotto, a BM vistoriou 1,1 milhão de veículos. Este ano, no mesmo período e já sob administração Yeda Crusius, 5,1 milhões de carros foram fiscalizados. A maioria em Porto Alegre.
O problema é que, seja sob que governo for, nem só de blitze vive o combate ao crime. Prova é que, apesar dos esforços das polícias, os ladrões continuam desaparecendo com 82 veículos por dia no Estado, a imensa maioria na Capital. A Polícia Civil incrementou as operações contra ferros-velhos onde é desaguada grande parte dos carros furtados, mas os criminosos permanecem ativos. O que falta?
Endurecimento legal e fiscalizatório. Os homens da lei ressaltam que os donos de desmanches não esquentam banco na cadeia. Raros são os que ficam presos mais do que alguns dias. E o ferro-velho flagrado com peças roubadas costuma voltar a operar antes do fim da investigação, mesmo com a prisão do dono – o que os policiais interpretam como um escárnio.
O diretor do Deic, Ranolfo Vieira Junior, acredita que só com a numeração obrigatória das principais peças dos carros os desmanches serão coibidos. Tramitam projetos nesse sentido na Assembléia, imitando lei que vigora no Paraná e que reduziu os índices naquele Estado.
Zero Hora 10 de maio de 2007. Edição nº 15236

Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.