Embraforte confirma prejuízo milionário com assalto


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 25 de setembro de 2010

Embraforte confirma prejuízo milionário com assalto
 
“Não temos ainda o valor exato, pois estamos somando as boletas, mas posso te confirmar que os ladrões levaram mais de R$ 40 milhões no assalto de sábado”. A afirmação é do empresário Marcos André Vilhena, dono da Embraforte, a empresa de transporte de valores atacada por uma quadrilha fortemente armada, no maior roubo da história policial de Minas. Para a polícia, o roubo chega a R$ 45 milhões.

Falando pela primeira vez à imprensa desde o assalto, Marcos confirmou que a maior parte do dinheiro levado pelos assaltantes se destinaria a abastecer caixas eletrônicos do Banco do Brasil (BB). Também havia dinheiro da Caixa Econômica Federal (CEF), além de bancos particulares e redes de varejo de Belo Horizonte.

O empresário informou que foi o primeiro assalto sofrido pela Embraforte desde que foi adquirida por ele, em 2006. “A empresa foi fundada em 2002, eu a comprei em 2006 e nunca tivemos um assalto a carro-forte ou outro tipo qualquer de ataque”, confirmou Marcos André. Ele admitiu que a grande preocupação no momento é a cobertura do seguro: “No Brasil não há cobertura para um seguro tão alto. Assim, somos obrigados a fazer o resseguro no exterior. É o Loyds quem cuida disso”, acrescentou. Quanto à identidade dos autores do roubo, Marcos André avalia que se trata de um grupo de fora do estado e acredita que a polícia de Minas vai conseguir localizar e prender a quadrilha.

Colaboração

Com relação às buscas feitas pelo Ministério Público Estadual (MPE) e fiscais da Fazenda estadual na sede da Embraforte, em 30 de junho do ano passado, durante a Operação Octopus, que investigava sonegação de impostos na venda de combustíveis, o empresário esclareceu que um dos grupos investigados era cliente da sua empresa. “Nós recolhíamos o dinheiro desse cliente, e apenas isso. Colaboramos com as investigações e não temos nenhum tipo de envolvimento com o esquema de sonegação”.

O promotor Renato Fróes, que participou da Operação Octopus, disse que, à época, a Embraforte foi investigada e não foi encontrada qualquer relação dela com o esquema de caixa 2 dos denunciados por sonegação de impostos.

Dinheiro

O Banco do Brasil (BB) informou ontem que havia dinheiro da instituição em poder da Embraforte para abastecimento dos caixas automáticos durante o feriado de Sete de Setembro. O banco não forneceu valores. Por sua vez, a Caixa Econômica Federal (CEF) comunicou que não comentaria o assalto, pois isso poderia atrapalhar as investigações. De acordo com a polícia, R$ 14,6 milhões do dinheiro roubado seriam depositados em caixas automáticos dos dois bancos estatais para suprir a demanda do feriado.

Segundo o BB, o contrato com a Embraforte vigora desde 2006, firmado mediante licitação. Com relação ao dinheiro roubado, a instituição comunicou que a responsabilidade é da empresa e que não há prejuízo aos cofres do banco. Todas os contratos são assinados com a exigência de “cobertura securitária para valores transportados e custodiados”, informou a assessoria do banco. O BB acrescentou que adotou medidas junto a outras empresas do ramo para reabastecer os caixas automáticos da cidade e não prejudicar os clientes.


Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.