Estado revê estratégias contra ladrões de carros


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 4 de abril de 2007

Estatísticas de março indicam que o roubo de carros é um crime resistente às ações policiais. Blitze, barreiras e operações em profusão foram insuficientes para conter um crescimento de 11,12% em relação a março de 2006. O aumento de casos frustrou expectativas e fez as autoridades rever estratégias.
O secretário da Segurança Pública, Enio Bacci, disse que o aumento está ligado à legislação branda contra desmanches, ao aumento da frota e ao chamado golpe do seguro – quando o dono vende o carro a bandidos e recebe um novo da seguradora -, mas reconheceu que precisa ajustar a repressão.
– Propomos mudanças na legislação, com a numeração das peças dos carros que vão para desmanches. Estamos cadastrando ferros-velhos, mas não tivemos um trabalho forte contra a clonagem e agora vamos atacar para valer – admitiu Bacci.
O secretário estimou que a clonagem pode ser o destino de até 40% dos veículos roubados. Segundo ele, foram identificados pontos de clonagem na Região Metropolitana, que serão desarticulados em breve. Um deles teria a participação de policiais civis e militares que dariam proteção aos bandidos.
Outra forma para combater o crime deverá contar com a ajuda de ladrões de carro. Bacci pretende oferecer recompensa, a chamada delação premiada, a bandidos que colaborarem com as investigações para desarticular as grandes quadrilhas.
Autores de furto estariam migrando para o roubo
O subcomandante-geral da BM, coronel Paulo Roberto Mendes, reconheceu que o incremento nos roubos pode estar ligado a deficiências nas manobras adotadas. Especialmente na Capital, onde ocorrem 54,9% dos casos do Estado.
Em março, o Comando de Policiamento da Capital (CPC) atingiu 40% do número previsto para fiscalização de veículos, enquanto outros comandos regionais, como Metropolitano, Sul, Missões e Vale do Taquari, superaram as metas estipuladas.
– O CPC está abaixo do que queremos, apesar do aumento em relação a janeiro, quando atingiu 5% da meta. Sabemos que o crime anda sobre rodas e que o problema está em Porto Alegre. Hoje (ontem) mesmo nos reunimos para buscar soluções – afirmou Mendes.
Enquanto subiu o roubo de carros – quando a vítima é abordada por assaltantes -, diminuíram em 28,67% os casos de furto de veículos – quando o ladrão age sem a presença da vítima. Quanto mais moderno o veículo, maior o risco de o motorista ser vítima de roubo. Isso porque carros novos têm cada vez mais dispositivos de segurança, como alarme, bloqueador de combustível e chave codificada.
Segundo especialistas, a ampliação de tecnologias seria a razão para a queda dos furtos.
– Quando o criminoso quer um carro novo, ele prefere assaltar – diz Marcos Vinícius Souza, professor do curso de Gestão em Segurança da Universidade de Santa Cruz.
Para o seu filho ler
Existem bandidos que roubam carros para vender. Outros usam os automóveis para assaltar outras pessoas. Para se proteger deles, o teu pai e a tua mãe não devem estacionar em locais escuros. Também não podem entrar na garagem sem olhar se pessoas estranhas estão por perto. Nem devem tirar dinheiro dos caixas de banco à noite. Os bandidos gostam de lugares escuros e com pouca gente, para agir com mais facilidade. Eles têm dado trabalho para a polícia, que tenta encontrar novas formas de prender esses ladrões. Enquanto isso não acontece, tu e a tua família precisam ter muito cuidado nas ruas. Se os bandidos aparecerem, é preciso ficar quieto, porque o criminoso está armado, preparado para tudo e nervoso e age de surpresa.

Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.