Falta de segurança é o que mais assombra o portoalegrense


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 6 de outubro de 2007

A (falta de) “segurança” é disparado o maior problema que assombra o portoalegrense, segundo dados levantados pela mais recente pesquisa do Instituto Methodus, cujos resultados vão aqui publicados em primeira mão. A agência de publicidade Plenna contratou o instituto para saber o que ele pensa sobre o uso de outdoors, mas aproveitou para ampliar os itens da pesquisa. De acordo com ela, o maior problema para 71% da população é a “segurança”. A “poluição visual” (outdoors) está na rabeira da lista, com apenas5,2%. O Instituto Methodus nem sempre agrada todo mundo com os resultados da sua pesquisa, mas até por isto acabou merecendo o respeito de todo mundo. E é óbvio que no caso de encontrar problemas com os outdoors, a própria agência Plenna evitaria a divulgação dos resultados. A questão dos oudoors ganhou corpo em Porto Alegre depois que São Paulo resolveu usar a lei do cão com as empresas. É que em São Paulo a coisa era bruta mesmo, o que nem de longe ocorre em Porto Alegre. A lista sobre os problemas que mais afligem os portoalegrenses é a seguinte: segurança, 71%; desemprego, 52,5%; crianças de rua, 51,5%; ruas esburacadas, 36,9%; trânsito, 19%; pichações, 18,2% e carroceiros, 13%. Os demais itens não são de assombrar. É curioso que entre eles esteja a questão dos camelôs e transporte público, que já foram vilões de primeira grandeza no elenco de preocupações dos portoalegrenses. .
Os resultados da pesquisa mandada fazer pela Plenna vão servir para a análise dos marqueteiros dos candidatos que disputarão as eleições do ano que vem em Porto Alegre. Os dois maiores motivos de preocupação – segurança e desemprego – são constitucionalmente responsabilidade diretas dos governos estadual e federal, mas a população não vai perdoar o candidato a prefeito que não tiver respostas também para os dois itens.

Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.