Garotas atraem mecânico para emboscada


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 16 de novembro de 2006

Crime
Garotas atraem mecânico para emboscada
São Leopoldo: Rapaz deu carona a duas mulheres e acabou morto por assaltantes
Ao dar carona para duas garotas que conheceu em uma festa, o mecânico Luciano Vasseberg, 28 anos, acabou morto, vítima de uma emboscada preparada por elas. O alvo era o carro de Vasseberg. O crime ocorreu às 4h de ontem, na Vila Braz, em São Leopoldo. Vasseberg, que havia aberto uma oficina na semana passada em Novo Hamburgo, e o amigo Geolar Keller, 29 anos, conheceram as duas jovens no clube Gigante do Vale, em Novo Hamburgo, e aceitaram dar carona a elas.
Quando chegaram à Vila Braz, onde elas informaram morar, uma das mulheres pediu o telefone celular do mecânico. Ligou para um comparsa e, em instantes, quatro homens armados abordaram o veículo da vítima. Foram as jovens que anunciaram o assalto.
Os bandidos roubaram uma bateria de celular, R$ 60 e o carro de Vasseberg, um Escort que foi localizado em Novo Hamburgo ontem pela manhã. Keller contou à família do mecânico que os homens faziam ameaças e estavam preocupados com o sistema antifurto do veículo.
Depois que o mecânico explicou o funcionamento do sistema, os dois amigos foram obrigados a dar as mãos e a sair de perto dos bandidos. Com medo de levar um tiro ao virar as costas aos assaltantes, o mecânico soltou a mão de Keller e investiu contra um dos homens. Foi baleado no tórax. Jovem havia realizado sonho de ter a sua própria oficina Os bandidos também atiraram contra Keller, que conseguiu escapar e avisar a Brigada Militar.
O mecânico foi levado ao Hospital Centenário, mas não resistiu ao ferimento. Os pais do jovem, Nilvo e Carmen Vasseberg, 52 e 50 anos, respectivamente, foram informados sobre a morte do filho mais velho às 6h, pelos pais de Keller.
– O Luciano (Vasseberg) e meu pai tiveram, por muitos anos, uma oficina, que meu pai resolveu fechar. Meu irmão estava muito feliz porque agora tinha conseguido abrir outra mecânica. Era a realização de um sonho – relata a irmã, Priscila, 20 anos.
A 2ª DP de São Leopoldo ainda não tem suspeitos e tenta identificar as duas mulheres. Hoje o amigo do mecânico deve depor.
Fonte: Jornal Zero Hora de 16 de novembro de 2006. Edição nº 15060

Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.