Mais segurança na hora de dirigir


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 30 de julho de 2009

Mais segurança na hora de dirigir
No fim de outubro do ano passado, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) divulgou uma resolução obrigando as montadoras de automóveis a instalar dispositivos antifurto nos veículos. A polêmica era que esse dispositivo seria capaz de rastrear o automóvel e muitos viram nisso uma invasão de privacidade. Na semana passada, o Contran anunciou o adiamento da instalação para fevereiro de 2010, mas com uma alteração: esse dispositivo não mais fará o rastreamento, apenas permitirá o bloqueio remoto do veículo.
O índice de recuperação de um caminhão rastreado é de 98%.
Para Álvaro Ederich Jr., diretor comercial da Chipsat, toda a iniciativa que estimule o uso de sistemas de segurança remoto é bom para o mercado, já que quanto maior o número de usuários, a tendência é que os preços caiam. “O índice de uso de rastreadores é muito baixo no Brasil. Da frota total (em torno de 57 milhões), apenas 2,5% são rastreados. Em caminhões, a porcentagem sobe para 9,5%”, diz o executivo. “Isso mostra que há muito mercado a ser trabalhado”.
A Chipsat é uma desenvolvedora de tecnologia para a área de segurança eletrônica, fornecendo equipamentos e softwares de rastreamento e logística para frotas de táxi, ônibus, caminhões e veículos, além de alarmes e centrais de monitoramento para residências e empresas. “Nós fornecemos as soluções para empresas de monitoramento e seguradoras, mas não prestamos o serviço”, esclarece Ederich.
A tecnologia utilizada combina um localizador GPS (sigla para sistema de posicionamento global) e um transmissor via rede de celular (GPRS). “No caso de uma emergência, a central de monitoramento pode efetuar quatro tipos de ações: o bloqueio do veículo, que pode ser pela bomba de combustível ou ignição, o acionamento de uma sirene, ligar as setas ou travar a carroceria baú do caminhão”, explica o executivo. “O índice de recuperação de um caminhão rastreado é de 98%. A tecnologia permite, além de rastrear e bloquear o caminhão, ouvir e até mesmo ver o que está acontecendo na gabine do motorista”, diz Ederich. Este último recurso, como a transmissão depende da rede de telefonia celular 3G (de alta velocidade), só é possível em grandes centros urbanos. “Na Europa e nos EUA, que são mercados mais maduros, os rastreadores são muito usados em logística, para aumentar a eficiência no transporte. No Brasil, o uso é mais para segurança. Muitas operadoras não fazem seguro de caminhão, e se fazem, exigem a instalação de rastreadores”, afirma.
Produtos
O módulo de rastreamento MPA4000 Plus é um equipamento que possibilita a visualização remota e em tempo real da localização do veículo e interações como acionamento de bloqueio, travas etc., além de fornecer relatórios com informações sobre velocidade, sentido de deslocamento etc. Possui um sistema completo de áudio (viva voz e escuta sigilosa), permitindo maior informação entre a base de operações e o motorista/ocupante do veículo.
O MPA4000 é um sistema eletrônico desenvolvido para oferecer um alto padrão em segurança veicular, propiciando às empresas de monitoramento funcionalidades como localização, bloqueio, abertura de canal de escuta e viva voz com o interior do veículo e gerenciamento da dirigibilidade do condutor. O sistema de localização do MPA4000 está baseado na tecnologia GPS.
Rastreador MPA43 é um modelo robusto, de tamanho reduzido e de fácil instalação. Ele é indicado para aplicações que necessitem apenas de rastreamento e bloqueio. Sua vedação especial e baixo consumo habilitam-no para rastreador e logística de frotas de motos. www.chipsat.com.br – Tel. (51) 3219 5000.
Jornal Diário do Comércio

Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.