Médico da Susepe conta como escapou de sequestro relâmpago


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 19 de novembro de 2010

Habituado a tratar internos do Instituto Psiquiátrico Forense, um médico psiquiatra da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) foi alvo de um sequestro relâmpago na manhã desta quinta-feira em Porto Alegre. O ataque, que durou cerca de 30 minutos, começou na Rua José de Alencar, bairro Menino Deus, e teve fim no Hospital Divina Providência, no bairro Glória. Ninguém ficou ferido.

A vítima, de 58 anos, tinha acabado de deixar o filho em uma autoelétrica por volta das 7h30min. Na saída, foi abordado em sua Hyundai i30 por um homem de cerca de 1m60cm, negro e com mais de 30 anos. Armado com um revólver calibre 38, o bandido se sentou no banco do carona e exigiu que o médico dirigisse. Antes, uma pessoa que viu a ação atirou contra o veículo, estourando o vidro direito traseiro. A Polícia Civil descartou que tenha sido algum policial.

— Tentei me desvencilhar, mas não tive o que fazer. Ele queria dinheiro. Na Vila dos Comerciários, ele disse que queria que eu fosse para o porta-malas, mas eu disse que não ia. Ele desistiu e pegou meu celular. Estava visivelmente sob a influência de drogas — contou o psiquiatra, que pediu para ter seu nome preservado.

Em busca de um caixa eletrônico, o criminoso seguiu com o médico até o Hospital Divina Providência.

— O vigia nos disse que os caixas eram no segundo andar. Ele não quis esperar o elevador. Então, fomos pela escada. Eu fui na frente e, quando chegamos à porta corta-fogo, fechei ela e deixei ele enclausurado — relatou a vítima.

O sequestrador tentou empurrá-la, mas acabou desistindo e fugiu em direção à Gruta da Glória. PMs do 1º BPM, com apoio do helicóptero da Brigada Militar, fizeram um cerco na região, mas o suspeito fugiu. O caso foi registrado na 23ª DP (bairro Partenon), que deverá pedir as imagens das câmeras de vigilância do autoatendimento para auxiliar nas investigações. O carro foi recuperado.

ZERO HORA


Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.