Militares durante o dia…assaltantes pela noite!


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 11 de novembro de 2008

Polícia | 11/11/2008 | 00h49min – Jornal Zero Hora

Militares são presos após assalto a taxista em Porto Alegre

Dupla acabou ferida e teve de ser levada ao Hospital de Pronto Socorro

Juliana Bublitz | juliana.bublitz@zerohora.com.br

Dois militares do Exército assaltaram um taxista na noite desta segunda-feira, na zona sul da Capital, mas acabaram detidos pelos colegas do condutor minutos depois. Avisados pelo motorista, os taxistas perseguiram os criminosos na Rua Dr. Campos Velho e contaram com a ajuda de moradores da Vila Ursa Maior.

Conforme o taxista de 62 anos, a dupla fez sinal para que ele parasse na Avenida Icaraí. Nenhum deles usava farda.

— Eles pediram para eu levá-los para o Belém Velho. Comecei a desconfiar de que se tratava de um assalto quando mudaram a rota e pediram para eu voltar — contou o motorista.

Quando o táxi passava pela Rua Dr. Campos Velho, nas proximidades da Icaraí, eles teriam anunciado o roubo. Ambos, segundo o condutor, estavam armados com facas. Depois de ser ameaçado, o taxista parou o veículo, entregou R$ 60 aos ladrões e esperou eles saírem para avisar os colegas.

Pouco depois, mais de 30 de taxistas chegaram ao local, saíram dos carros e correram atrás dos bandidos. De acordo com o motorista roubado, ao ver a correria, moradores das proximidades ajudaram na captura dos suspeitos.

Enquanto isso, a Brigada Militar foi chamada ao local. Chegando lá, prendeu os assaltantes, que apresentavam marcas de agressão e tiveram de ser levados para o Hospital de Pronto Socorro. Depois de receber atendimento, os dois foram para a Área Judiciária, no Palácio da Polícia, onde acabaram autuados em flagrante por roubo e encaminhados à Polícia do Exército (PE).

Integrantes da PE confirmaram que os soldados Joel Aita e Israel Souza de Souza, ambos de 20 anos, ficariam presos em uma cela na sede do órgão em Porto Alegre, mas preferiram não dar maiores detalhes sobre o ocorrido.

Nota do Emir: Esses elementos fogem à regra das corporações militares. Como em todas as profissões existem os corretos, mas sempre encontramos os que não respeitam a farda que usam!


Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.