Passat furtado em 1985 foi recuperado rodando


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 10 de junho de 2008

Roubo e Furto de Veículos S.A.
Passat furtado em 1985 foi recuperado rodando
Policiais descobriram veículo em uma abordagem de rotina em Barra do Quaraí, na Fronteira

Um carro furtado no Brasil foi localizado pela Brigada Militar de Barra do Quaraí, na fronteira com o Uruguai. O inusitado é o tempo transcorrido entre o crime e a localização do veículo: 23 anos.
O Passat cinza, fabricado em 1984, foi parado numa abordagem de rotina da BM na última quinta-feira. Como o condutor, um uruguaio, não tinha em mãos o documento do automóvel, com placas uruguaias, a BM resolveu checar o chassi. A conferência fez com que os policiais constatassem o furto registrado em 1985.
O carro foi recuperado e está numa garagem de Uruguaiana esperando pelo seu dono original. O empresário Paulo Vanderlei Capelari de Almeida, 56 anos, morador de Porto Alegre, pode ter sido vítima do esquema adotado por quadrilhas para legalizar no Exterior carros roubados ou furtados no Brasil. De 2007 até agora, 867 veículos foram furtados em 13 cidades de fronteira do Estado, segundo registros da Secretaria da Segurança Pública, mas a polícia não sabe precisar quantos deles podem ter sido levados para o outro lado da fronteira.
Conforme informações da polícia do Uruguai, ladrões furtaram o Passat de Almeida com documentos em 1985 e, no mesmo ano, levaram-no para Montevidéu. Na capital uruguaia, eles fizeram a troca das placas e o registro para legalizar o carro. O uruguaio é o terceiro proprietário do Passat. Ao apresentar os papéis uruguaios do carro, ele foi liberado pela polícia brasileira, que agora vai investigar a veracidade do documento.
– Ele disse que nem imaginava que o carro fosse furtado. Como apresentou a documentação uruguaia, foi liberado – comenta o delegado que atendeu o caso, Rodrigo Duarte, titular de Uruguaiana.
Automóvel desapareceu depois de jantar com amigos
Almeida tem poucas lembranças do dia do furto. Recorda que estava em Porto Alegre, jantando com um amigo antes de uma viagem que faria ao Nordeste. O carro, comprado zero-quilômetro, estava com ele havia um ano. Quando voltou do jantar, o Passat não estava mais no ponto em que havia sido deixado, na rua.
– A última coisa que me passou pela cabeça foi que ele havia sido levado. Achei que tinha estacionado em outro lugar e não estava lembrando. E o flanelinha ainda queria dinheiro a todo custo, mesmo eu dizendo que tinha acabado de ser furtado – conta o empresário.
Antes do Passat, Almeida já tinha tido um Fusca furtado, que foi encontrado demolido alguns meses depois. Após o Passat, a má sorte continuou: o empresário relata ter tido outros cinco carros furtados. O último deles foi uma Santana Quantum, levada há três anos. Nenhum foi recuperado.
– Daí desisti de ter carro. Fiquei três anos andando a pé, e foi só na semana passada que comprei um Mégane. Já saiu da loja segurado, por precaução – revela.Almeida recebeu a notícia de que seu carro havia sido encontrado ontem. No início, achou que fosse trote:
– Achei que era piada ou algum tipo de golpe. Foi difícil, mas depois acreditei. Fiquei sabendo que o carro está em bom estado, mas não sei ainda o que fazer com ele – diz.
MARINA LOPES

Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.