PF fecha 15 empresas com vigilância clandestina no PI


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 24 de dezembro de 2009

PF fecha 15 empresas com vigilância clandestina no PI

TERESINA(PI) – A Polícia Federal do Piauí divulgou na manhã desta segunda que 15 empresas que trabalhavam com segurança privada sem autorização foram fechadas no Estado. Elas foram notificadas durante a operação Varredura que ocorreu entre os dias 18 e 23 deste mês.

Ao todo, 157 pontos foram fiscalizados; entre estes 15 foram fechados e 4 autuados. Além de empresas de Segurança Privada foram verificados farmácias, pontos de combustíveis, casas noturnas e eventos em geral. Foram encontrados ao todo 24 pontos de atividade clandestinos, alguns dos quais existem grupos que funcionam como tem segurança própria ou trabalham como segurança privada.

Comandaram a ação o coordenador de Controle de Segurança Privada da PF nacional cuja sede funciona em Brasília, delegado Rodrigo de Andrade Oliveira e o delegado de controle de Segurança Privada no Piauí Wellington Santiago.

Segundo levantamento, os principais crimes encontrados são os casos de vigilantes que não têm autorização para trabalhar. Segundo o delegado Wellington Santiago, foram alguns destes vigilantes foram presos por utilizarem arma de fogo sem porte. Em todo o Piauí, apenas nove empresas oferecem o serviço de forma legal. A PF, entretanto não quis divulgar o nome dos estabelecimentos.

Eriosvaldo Dias, superintendente da PF no Piauí

“A operação é padrão no Brasil e tem caráter pedagógico; visa muito mais informar do que coibir. O cidadão que não está qualificado pode colocar em risco a vida de terceiros. Se portar arma sem ter treinamento ou autorização. Essas empresas além de serem fechadas, vão responder criminalmente”, afirma o superintendente da PF no Piauí, Eriosvaldo Renovato Dias.

Para ele a operação, que contou com 35 policiais, foi muito exitosa. A PF encerra a fiscalização nesta segunda em agências bancárias de Teresina.

Fonte: Cirade Verde

Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.