PM revê meio de comunicação


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 19 de novembro de 2008

19 de novembro de 2008 N° 8261 Diário Catarinense

Segurança
PM revê meio de comunicação

Bandidos conseguem entrar na freqüência de rádio dos policiaisO comando da Polícia Militar (PM) de Joinville já começou a adotar medidas de segurança para evitar o vazamento e as escutas por parte de criminosos no seu sistema interno de comunicação.

Somente neste ano, a PM conseguiu apreender seis equipamentos (rádios) usados por bandidos para escutar a freqüência da polícia. Com isso, os criminosos ganham tempo e até podem se precaver de ações policiais.

– Estamos estudando uma mudança de procedimento na nossa comunicação. Já estamos adotando o celular para nos comunicarmos – afirmou o tenente-coronel Edivar Bedin, comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar.

O uso de radiotransmissores por parte dos criminosos foi alertado pelo próprio comandante Bedin depois de um assalto à residêcia de um executivo, localizada no Bairro América, em outubro. Na ação, os policiais encontraram um rádio que era utilizado pelos assaltantes para monitorar os passos dos militares e não serem surpreendidos. Na época, o comandante Bedin reconheceu que o sistema de comunicação da PM era frágil e que precisava de mudanças.

Medidas preventivas já foram adotadas

Para evitar o vazamento de informações em favor do crime, o comando da Polícia Militar já começou a adotar medidas preventivas de segurança.

Uma delas é o uso do telefone celular. Em operações mais complexas e sigilosas, policiais militares já utilizam o telefone como forma de evitar o uso do rádio. As ligações dificilmente seriam receptadas pelos marginais porque seriam necessários equipamentos mais sofisticados. Também já está definido que haverá mudanças no sistema interno de comunicação, com a ampliação da segurança.

Os radiocomunicadores são facilmente comprados no mercado e sintonizados na mesma freqüência da PM. Bandidos compram esses equipamentos no Paraguai, similares aos que são utilizados pela polícia.

Joinville


Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.