Segurança – Os nomes no Deic e Denarc


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 8 de janeiro de 2007

Os delegados Ranolfo Vieira Junior e Walter Waigner da Silva Gomes seguem dirigindo o Deic e o Denarc.
O anúncio foi feito ontem pelo chefe de Polícia, delegado Pedro Rodrigues.
Dos 13 principais delegados, três seguem nos cargos: além de Ranolfo e Waigner, José dos Santos Araujo permanece no Departamento de Informática Policial (Dinp). A meta da Chefia é combater todos os crimes com a mesma intensidade.
Os nomes
Quem comanda os principais escalões da Polícia Civil:
Chefia – Pedro Carlos Rodrigues
Subchefia – Francisco Tubelo
Chefia de gabinete – Gilberto Borsato da Rocha
Divisão de Assessoramento Jurídico – Conceição Cardoso Pinheiro
Gabinete de Inteligência – Sandra Louzada
Departamento de Polícia Metropolitana (DPM) – Ivan Carlos da Motta
Departamento de Polícia do Interior (DPI) – Antônio Paulo Torres Machado
Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) – Ranolfo Vieira Junior
Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc) – Walter Waigner da Silva Gomes
Academia de Polícia Civil (Acadepol) – Mário Wagner
Corregedoria-geral da Polícia Civil (Cogepol) – João Paulo Martins
Departamento de Polícia Judiciária de Trânsito (Dptran) – Carlos Joaquim Guedes Rezende
Departamento de Telecomunicações (Detel) – Joel Souza de Oliveira
Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca) – Ênio Gomes de Oliveira
Departamento de Informática Policial (Dinp) – José dos Santos Araújo
Departamento de Administração Policial (DAP) – César Danckwardt
Conselho Superior de Polícia (CSP) – Vanise Danckwardt
Notas
Morte de preso
O mistério voltou a rondar o caso do PM Iuri Merlini Martins, 26 anos, morto em janeiro do ano passado em Porto Alegre. Na noite de quinta-feira, um dos acusados de participação no crime foi encontrado enforcado em uma cela da Penitenciária Estadual do Jacuí (PEJ).
O comerciante Marcelo Camargo Machado, o Coelho, 40 anos, estava com prisão preventiva decretada e se apresentou à Justiça na terça-feira. Recolhido ao Presídio Central, ele prestou depoimento na 2ª Vara do Tribunal do Júri. Ele é acusado de ter financiado os matadores do PM. Onze PMs são suspeitos de envolvimento na morte de Iuri.
Ataques na Serra
Três roubos em seqüência na manhã de ontem assustaram parte dos cerca de 3 mil moradores de Vila Flores, na Serra. Em poucos minutos, quatro homens armados atacaram o posto dos Correios, uma loja e uma farmácia. Os ladrões usavam um Siena roubado em Porto Alegre.
Alarme eficiente
Ladrões tentaram arrombar na madrugada de ontem a agência do Banrisul na Avenida Emancipação, em Tramandaí. Eles quebraram o telhado e o forro do prédio, quando soou o alarme. O grupo fugiu.
Lei antiterror
Já está pronto no Gabinete de Segurança Institucional (GSI), vinculado à Presidência da República, um anteprojeto que define terrorismo e tipifica atos que podem ser enquadrados nesse crime. Pela proposta, atos como os que aconteceram no Rio poderiam ser enquadrados como terrorismo. No anteprojeto, há um capítulo que trata de crimes contra aeroportos, portos e transporte coletivo. Aí estarão incluídos fatos como os ocorridos no Rio, onde criminosos atearam fogo a um ônibus, matando pessoas.
Prisão de 69 PMs
O juiz Marcelo Villas, da 1ª Vara Criminal de Madureira, decretou a prisão preventiva de 69 policiais militares. Eles foram investigados pela Polícia Federal, na Operação Tingi, e são acusados de envolvimento com o tráfico da Favela do Muquiço, na Zona Norte. Os policiais estão presos desde 15 de dezembro, data em que a Justiça havia decretado a prisão temporária do bando. Dos policiais militares, 40 estavam lotados no 14º BPM (Bangu).
– Até o próximo mês, o projeto antiterror será remetido ao Ministério da Justiça e, em março, encaminhado à Casa Civil, que, finalmente, poderá enviá-la ao Congresso.

Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.