Sistemas dão resultados na segurança pública


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 2 de novembro de 2009

Seg.Eletrônica – Sistemas dão resultados na segurança pública

25/10/09

Caso AfroReggae: Monitoramento com imagens tem ajudado no trabalho policial

RIO – Mais do que blindados e helicópteros, o monitoramento eletrônico é hoje o maior aliado da segurança pública. Segundo estimativa do Sindicato das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança do Estado do Rio (Siese-RJ), atualmente 100 mil câmeras – como as que ajudaram a revelar o comportamento dos PMs no assassinato do dirigente do AfroReggae – são usadas pela iniciativa privada. Enquanto isso, a Secretaria de Segurança Pública dispõe apenas de 267 câmeras na Região Metropolitana do Rio, na Baixada Fluminense, em São Gonçalo e Niterói. A Cet-Rio tem 92 equipamentos pela cidade e 15 apenas na Linha Vermelha. A manutenção custa ao município R$ 1,4 milhão por ano.

Segundo o tenente-coronel Cláudio de Almeida Neto, superintendente de Comando e Controle da Secretaria, no momento são investigados 10 casos, com a ajuda de imagens feitas por câmeras. No ano passado, cenas gravadas pelo circuito de TV de um prédio ajudaram a desmontar a versão dos policiais militares que alegavam não ter atirado no carro em que estava o menino João Roberto Amorim Soares, de 3 anos, morto numa ação policial desastrada na Tijuca. Em 2007, câmeras de um banco também registraram o momento em que assaltantes mataram com um tiro na cabeça o aposentado Francisco Sérgio dos Santos, de 59 anos, em Maricá.

As promessas de reforço da segurança pública com câmeras são antigas. No ano passado, o governo estadual chegou a anunciar que 500 câmeras utilizadas nos Jogos Pan-Americanos de 2007 seriam integradas ao Centro de Comando e Controle do Rio. Mas, segundo a Secretaria, atualmente 186 das 267 câmeras estão instaladas na cidade, na área de 26 batalhões da Polícia Militar. A região do 19 BPM (Copacabana) é a que tem maior número de câmeras: são 16 equipamentos.


Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.