Tiroteio assusta o Menino Deus


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 10 de janeiro de 2008

Tiroteio assusta o Menino Deus
Confusão começou depois que grupo de bandidos assaltou prédio anexo ao Hospital Mãe de Deus e trocou tiros com seguranças para poder fugir
Às 15h45min de ontem, o aposentado Ubirajara Cabral, 64 anos, deu partida no seu Corolla estacionado na Rua Costa, no bairro Menino Deus, em Porto Alegre, para se dirigir ao Centro, onde faz fisioterapia.
Não rodou mais de dois minutos e viu homens correndo pelo meio da rua. Um deles, negro, gordo, apontou uma arma em direção ao carro e fez quatro disparos. Um tiro passou a poucos centímetros da sua cabeça. Acelerou e quase bateu em um veículo parado no meio da rua. O tiroteio levou pânico ao bairro de classe média de Porto Alegre.
A rotina de Cabral foi quebrada por quatro bandidos que fugiam trocando tiros com seguranças depois de terem assaltado o setor de Recursos Humanos (RH) do Hospital Mãe de Deus, que fica em um anexo na Rua Grão Pará, para roubar vales-transporte. O crime foi minuciosamente planejado, acredita o responsável pela segurança do hospital, que pediu para não ser identificado. Os ladrões não contavam com a reação da segurança. Um dos bandidos acabou levando um tiro e deixou para trás vários sacos com vale-transporte, armas, munição e um rastro de sangue em um dos veículos usados para fugir, um Focus.
O veículo da fuga colidiu e acabou quebrando a caixa de câmbio, o que forçou os ladrões a saírem em busca de outro carro. A primeira tentativa foi o veículo de Cabral. Falharam. Mas, logo em seguida, conseguiram roubar um Astra bordô, depois encontrado na Vila Cruzeiro.
– Meu Deus, nasci novamente – relatou Cabral, mostrando as quatro perfurações no vidro da porta traseira.
A confusão começou pouco minutos antes, quando três bandidos entraram em salas do RH. Ontem, ainda não havia sido apurado como eles conseguiram entrar no local. O responsável pela segurança acredita que será possível esclarecer o mistério examinando os vídeos das câmeras que há no prédio. Foi graças a uma delas que o assalto foi descoberto. Um vigilante viu um dos funcionários do RH sendo agredido e tocou o alarme, dando início à ação dos seguranças.
A troca de tiros assustou moradores e pessoas que transitavam pelas ruas.
– Havia acabado de tomar banho e ouvi um matraquear de tiros. Saí na janela e vi um homem correndo e sangrando – descreveu o vendedor Jucimar Vivan, 52 anos, que mora próximo ao portão de acesso ao RH.
Outra testemunha, Pedro Valim, que estava encostado em um dos veículos estacionados, disse que os bandidos dispararam tiros em várias direções. Outra pessoa, que pediu para não ter o nome publicado, comentou que os assaltantes gritavam muito enquanto varriam os arredores à bala. Houve um momento, recorda, que não dava para saber quem atirava em quem.
– Procurei refúgio atrás de um dos carros estacionados – contou.
O responsável pela segurança do Hospital Mãe de Deus disse que não sabia quem havia começado o tiroteio.
– Pela nossas câmeras de vigilância, vimos os bandidos realizado disparos para cima dentro do RH para amedrontar as pessoas e abrir a rota de fuga. Quando eles saíram, já estavam na rua a BM e a nossa segurança. Quem deu o primeiro tiro não sei. Mas houve um tiroteio intenso e felizmente nenhum inocente foi ferido. Só um dos bandidos – disse.
O tenente-coronel Ângelo Silva, comandante do 1º Batalhão de Polícia Militar, disse que, quando a Brigada Militar chegou ao local, o tiroteio já tinha acabado.
Até o começo da noite de ontem ninguém havia sido preso. Também não havia informações sobre o bandido ferido.
CARLOS WAGNER

Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.