Universitária é morta em ataque a carro-forte


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 3 de julho de 2007

Universitária é morta em ataque a carro-forte

Outras seis pessoas ficaram feridas quando um falso catador de lixo reciclável abriu fogo contra vigilantes de blindado na saída de um banco
JOSÉ LUÍS COSTA

Disfarçado de catador de lixo reciclável, um assaltante que levava um fuzil escondido dentro de um carrinho de supermercado deu início a um tiroteio que matou uma jovem de 22 anos e deixou seis pessoas feridas no começo da noite de ontem, na zona norte de Porto Alegre.

O ladrão abriu fogo contra vigilantes da Prosegur que recolhiam malotes de uma agência do Unibanco na esquina da Avenida Assis Brasil com a Rua Açores. Dezenas de motoristas e pedestres passavam pelo local e ficaram na linha de tiro. A universitária Cristiana Cupini, que estava próxima à porta do banco, foi atingida na cabeça e morreu. O criminoso e um comparsa fugiram sem nada levar.

Conforme a Brigada Militar, ficaram feridos os vigilantes Ezequiel Pazutti, 32 anos, e Hugo Cezar Cruz da Silva, 40 anos, além de quatro pessoas que caminhavam nas imediações ¿ Alírio Oliveira Meireles, 60 anos, Luana da Silva Oliveira, 17 anos, Bruno Alves de Oliveira, 23 anos e Aline Centena da Silva, 17 anos.

Vestido de azul, com vassoura e carrinho lotado de papelão, o bandido se aproximou de uma banca de frutas e verduras em frente à agência por volta das 18h. Quando dois vigilantes saíam do Unibanco para entrar no carro-forte, o ladrão se escondeu atrás da banca e disse para o feirante Jéferson Glasser, 27 anos, ficar quieto.

– Me abaixei e rezei para Deus me proteger. Nunca tinha visto nada igual – contou Glasser, assustado, minutos depois do tiroteio.

Vigilantes reagiram disparando espingardasSegundo o coronel Paulo Roberto Mendes, subcomandante-geral da BM, o falso catador tirou do carrinho um fuzil retrátil e disparou na direção dos vigilantes. Um comparsa dele, usando um casacão, foi visto atravessando correndo a Assis Brasil, também atirando com uma arma longa.

Os vigilantes reagiram disparando com espingardas calibre 12. Dois seguranças teriam tentado voltar para dentro do banco, enquanto o terceiro ficou no blindado. Disparos atingiram a porta e as paredes envidraçadas da agência, abrindo rombos e espalhando cacos de vidros pela calçada.A universitária Cristiana Cupini estava chegando ao Unibanco pela rua lateral (Açores), onde deixou estacionado o carro que dirigia.

Conforme o tenente-coronel Hildebrando Sanfelice, comandante do 11º Batalhão de Polícia Militar, populares disseram ter visto a jovem ser usada como escudo por um dos bandidos e depois executada. Cristiana tombou ferida em frente ao banco. Levada em estado grave para o Hospital Cristo Redentor, a jovem não resistiu.

Até as 22h de ontem, os demais feridos estavam em atendimento no mesmo hospital. De acordo com o coronel Mendes, que conversou com familiares de Cristiana no hospital, ela trabalhava em uma filial das Lojas Renner. Instantes antes ao tiroteio, a jovem teria ido ao banco pegar dinheiro e depois seguiria para a faculdade.

Dezenas de cápsulas ficaram caídas no chãoUm dos bandidos teria fugido a pé em direção ao bairro Sarandi. Um Palio e um Scénic estacionados perto do banco foram apreendidos pela BM. O Scénic havia sido roubado em 8 de maio em um supermercado em Canoas. Dezenas de cápsulas de calibre .45 ficaram espalhadas em frente ao banco.

– Infelizmente, os criminosos estão cada vez mais violentos. Foi uma coisa inacreditável, tiros para todas as direções – lamentou Mendes.

O tumulto chamou a atenção de centenas de curiosos e provocou congestionamentos na região. O caso será investigado pela Delegacia de Roubos e Extorsões.


Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.