Vigilantes são presos por roubo a bancos


por Emir Pinho - Consultor de Seguranca - 51 9967 3306 - ID 9214136 em old / 8 de setembro de 2007

Delegacia de Roubos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) prendeu ontem dois vigilantes suspeitos de fazer parte de uma quadrilha especializada em assalto a bancos. A dupla é suspeita de facilitar a entrada de criminosos em agências bancárias da Região Metropolitana e de aliciar profissionais de segurança.
Os agentes do Deic investigaram os criminosos depois do assalto ao posto do Banrisul na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em 16 de agosto. Segundo o delegado Heliomar Franco, titular da Delegacia de Roubos, o fato de muitos assaltantes não enfrentarem resistência para entrar nas agências gerou suspeitas:
– Nunca havia reação. E o dinheiro que deveria estar nos cofres sempre ficava ao alcance dos bandidos.
Outro detalhe que chamou a atenção da polícia foi o fato de os cinco bandidos terem conhecimento de um depósito em dinheiro feito recentemente pela universidade, que ainda não havia sido guardado no cofre.
Dois dias depois do crime, uma equipe da Delegacia de Roubos encontrou R$ 850 e documentos do banco datados do dia do assalto na casa de Alexandre da Silva Dias, 29 anos, um dos seguranças do posto. Com a prisão do vigilante, a polícia chegou aos suspeitos de tê-lo aliciado.
Jeferson Melo Magalhães, 24 anos, foi preso no início da manhã de ontem, em uma escola da zona norte da Capital na qual fazia vigilância. Eduardo César Oliveira Quevedo, 29 anos, foi detido no cais do porto, em um dos pontos de trabalho da empresa de segurança e transporte de valores Panambi, da qual era funcionário.
Em seus depoimentos, os dois vigilantes negaram envolvimento com a quadrilha, mas admitiram conhecer um dos suspeitos de participar do roubo ao posto do Banrisul. O Deic investiga a atuação do bando em mais 10 assaltos.O diretor-presidente da Panambi, Jota Amaral, colaborou na identificação dos funcionários envolvidos.

Tags:


Eu quero mais artigos como este!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.